Lipocell

Lipocell

A luta contra a osteoartrite: a restauração de lesões artroscópicas pode ocorrer através de um processo natural e biológico?

Há mais ou menos sete anos atrás descobriu-se que na gordura de adultos e idosos estão presentes células chamadas mesenquimais, que permaneceram bloqueadas em um certo momento do seu desenvolvimento. Tal descoberta deu um enorme impulso na busca de mecanismos naturais. Os mecanismos naturais em questão levam à restauração biológica de várias lesões em diferentes graus de severidade, incluindo a da cartilagem que reveste a articulação. A descoberta – atribuída aos laboratórios da Chase Western University em Cleveland, Ohio, EUA, dirigidos pelo professor Caplan – deu um forte impulso ao desenvolvimento de novas medidas terapêuticas voltadas para o aproveitamento desses novos princípios.

Tanto a artrose primária quanto a secundária causam a perda da função articular, destroem  o revestimento cartilaginoso e desencadeiam uma série de anomalias funcionais que levam – nos casos mais graves – à perda completa do movimento articular.

Na prática em geral, implantes protéticos inertes são amplamente utilizados, os quais, muito frequentemente, obtêm um retorno da função articular com suavização ou desaparecimento das dores iniciais. Infelizmente trata-se sempre de uma grande cirurgia e nem todos os pacientes estão dispostos a enfrentá-la, levando-se também em consideração as inúmeras complicações que podem se verificar. Portanto, é necessário encontrar uma metodologia de tratamento que não seja apenas leniente para a dor como é, por exemplo, o uso intra-articular do ácido hialurônico, muito comum, mas com resultado efêmero. Intervir preventivamente na base artrósica – ou seja , a articulação afetada pelo processo de degeneração – deveria ser o ponto de partida de tudo. Isto permitiria aproveitar plenamente as capacidades regeneradoras do tecido conjuntivo, uma função realizada pelas células mesenquimais. Caplan me explicou que, normalmente, a gordura intra-articular livre não existe na natureza. Isso significa que a transferência da quantidade certa de emulsão gordurosa melhora, imediatamente, as funções articulares, reduzindo o atrito e a dor.

Dentro de 9/10 meses é possível observar as melhorias nas articulações, melhorias essas desencadeadas pelos processos regenerativos das células mesenquimais. Toma-se uma quantidade de tecido adiposo autólogo através de uma mini lipoaspiração com uma cânula, com anestesia local e sedação leve, se necessário. Dois acessos mínimos de cerca 2 mm cada são feitos e a gordura é retirada, normalmente da área abaixo do umbigo, acima da zona púbica. O tecido retirado é submetido a uma filtragem mecânica através de um kit específico que permite obter o produto a ser injetado na articulação. Com a ajuda de um especialista em ultrassonografia, o procedimento de injeção pode ser feito de forma precisa e direcionada. Depois de mais ou menos meia hora, o paciente pode ir para casa com o pleno uso da articulação que foi submetida ao tratamento.